A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, nesta quinta-feira, que deteve, pela segunda vez, na Covilhã, um homem suspeito do crime de abuso sexual de crianças, que depois da primeira detenção começou a exercer coação psicológica sobre a vítima.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal da Guarda esclarece que o homem está fortemente indiciado dos crimes de abuso sexual de crianças, de atos sexuais com adolescentes e de pornografia de menores, ocorridos na Covilhã entre agosto de 2016 e agosto de 2017.

A atual detenção teve em vista a reapreciação da medida de coação de termo de identidade e residência que anteriormente lhe havia sido imposta, aquando da primeira detenção, uma vez que o mesmo indivíduo, tendo por referência os factos criminosos de que é suspeito, vinha, entretanto, protagonizando episódios consecutivos de coação psicológica sobre aquela mesma vítima, ameaçando-a com a prática de mal importante", aponta o comunicado da PJ.

Segundo a informação, o detido, com 40 anos, e já condenado por ofensas à integridade física, foi presente às autoridades judiciárias, tendo ficado sujeito à proibição de contactar a vítima.