causaram 129 mortos







A polícia francesa admitiu, desde logo, a possibilidade de haver cúmplices em fuga e essa foi uma das primeiras pistas que as autoridades de segurança seguiram de imediato, além da investigação forense aos atentados que permitiram chegar até a um bairro de Bruxelas.

Segundo dados preliminares da investigação, o sangue frio dos atiradores prova que são profissionais treinados e que têm o perfil de jihadistas provenientes de zonas de combate no Médio Oriente.

Um dos terroristas foi já identificado como sendo Ismael Omar Mostefai, de 29 anos, nascido no subúrbio pobre de Paris de Courcouronnes e com origem argelina. O procurador de Paris esclareceu, na conferência de imprensa de sábado, que "havia indicações de radicalização" mas "não de filiação". 


AO MINUTO