Cinco pessoas foram detidas neste sábado em Bruxelas com ligações aos ataques de Paris na sexta-feira à noite, em que morreram pelo menos 128 pessoas e 300 ficaram feridas.

Está a decorrer uma operação policial na capital belga, depois de as autoridades terem realizado buscas no bairro Molenbeek, onde residiriam três dos homens envolvidos nos atentados de Paris.

De acordo com a televisão pública belga RTBF, o ministro do Interior não confirma que uma parte dos terroristas seja de nacionalidade belga.

A circulação no bairro de Molenbeek está encerrada e a estação de metro mais próxima, Osseghem, também foi fechada. 

As autoridades procuram, igualmente, uma viatura de cor negra, com matrícula belga e três pessoas a bordo, depois de várias testemunhas em Paris terem contado às autoridades que viram um carro de matrícula belga nas zonas dos ataques.

Um bilhete de estacionamento do bairro de Molenbeek também terá sido encontrado no interior de uma das viaturas analisadas pela polícia.

Na Alemanha, as autoridades dizem que o homem detido a 5 de novembro na região da Baviera, depois de terem sido encontradas várias armas e explosivos no seu carro, pode ter ligações aos atentados de Paris.

O ministro alemão do Interior, Thomas de Maiziere, adiantou que o homem, de 51 anos, natural de Montenegro, tinha uma morada de Paris registada no GPS da sua viatura e que as autoridades francesas foram informadas desta ligação.

De acordo ainda com o sistema de navegação, o suspeito montenegrino viajou via Croácia, Eslovénia e Áustria até à Alemanha. Ali chegado e questionado na fronteira sobre o seu destino, o homem disse que ia ver a Torre Eiffel.