De acordo com a BBC, esta opção «legacy contact» ( «contacto de legado») funciona como um testamento, em que o utilizador pode escolher um dos amigos na rede social para gerir a conta depois de falecer. Este recurso já aparece nas definições de segurança, mas ainda só está disponível nos EUA, embora existam planos de a expandir a mais países. 

 

Se for necessário ativar a opção, a pessoa selecionada poderá controlar determinados aspetos da conta da pessoa que morreu, escolhendo a foto de perfil e de capa. Poderá também colocar publicações antigas no topo da página e responder a pedidos de amizade, ou poderá simplesmente apagá-la.

 

Mas, note-se: o amigo escolhido para cuidar do perfil não poderá fazer o «login» como se fosse a pessoa que faleceu. Ou seja, não poderá colocar novos posts como se fosse a pessoa que morreu, ver as mensagens privadas, ou mesmo enviar mensagens de qualquer espécie como se fosse a própria pessoa.

Ainda de acordo com a rede social, é possível informar se o utilizador prefere ter a conta de Facebook excluída de forma permanente. Até o momento, era possível transformar uma conta em memorial, sem um novo administrador.

Em comunicado, a gerente de produto do Facebook, Vanessa Callison-Burch, explica como excluir dados e proteger a identidade digital de pessoas mortas.

 

«O Facebook é um lugar para se relacionar com os amigos e família. Para muitos de nós, também é um lugar para lembrar e honrar aqueles que perdemos», refere o comunicado.

 

 

Para quem usa a rede social em inglês, basta aceder a configurações, escolher «Security» e, em seguida, «Legacy Contact». A função é a última da lista e sugere que «escolha um familiar ou amigo próximo para cuidar da conta caso aconteça algo». É possível enviar uma mensagem ao escolhido.