Um caçador que matou um jaguar na floresta amazónica do Equador foi condenado a seis meses de prisão, anunciaram os dirigentes do país sul-americano, um caso que faz lembrar o abate do leão Cecil no Zimbabué.

O Ministério do Ambiente equatoriano informou esta sexta-feira que o caçador colocou uma fotografia do animal morto na rede social Facebook.

O homem, identificado como Luis Alfredo O., admitiu ter “alvejado e matado o jaguar, levando-o para a sua casa e distribuindo a carne aos vizinhos”.