«A decisão do Tribunal Constitucional (…) de deliberar pela não realização de uma nova assembleia de apuramento geral irá contribuir para que as dúvidas existentes sobre os resultados eleitorais e a vontade popular expressa na votação do passado dia 29 de março se mantenham», pode ler-se no comunicado divulgado pela CDU/M à Lusa.
















O Tribunal Constitucional (TC) indeferiu os cinco recursos interpostos por PSD, CDS-PP, CDU, MAS e Plataforma dos Cidadãos.