O secretário-geral da CGTP manifestou-se solidário este domingo com a luta dos professores na sequência dos erros na sua colocação.  Arménio Carlos acusou o Governo de «desrespeito» e alertou para a degradação da escola pública em detrimento de interesses privados.

«Estamos aqui para manifestar a nossa solidariedade com este desrespeito por parte do Governo, não só em relação aos professores, mas também em relação aos alunos. O primeiro-ministro dizia recentemente que este tinha sido o melhor início do ano escolar e o que nós estamos a constatar é que este é o pior ano dos últimos três anos», afirmou Arménio Carlos à agência Lusa.

O líder da CGTP, que se fez acompanhar por outros elementos da Intersindical, juntou-se esta tarde ao protesto dos professores que decorre em Lisboa.

O secretário-geral da CGTP considerou que «a educação é essencial para o futuro do país e, neste contexto, os ataques e os cortes a que está a ser sujeita, levam a que haja uma degradação da escola pública e uma facilitação da iniciativa privada que não é boa, nem para o desenvolvimento do país, nem para a coesão social». Nesse sentido, Arménio Carlos apelou à solidariedade das populações com os professores.

Alguns milhares de professores estão a desfilar em direção ao Chiado, em Lisboa, a contestar a política do Governo para a Educação e a pedir a demissão do ministro Nuno Crato.

Na sexta-feira, vários agrupamentos de escolas receberam orientações do Ministério da Educação para anularem as colocações de professores do concurso da bolsa de contratação.

Estas orientações foram dadas horas antes da divulgação das novas listas, que substituem as anteriores, nas quais foram detetados erros, que levaram à demissão do antigo diretor-geral da Administração Escolar.

Também a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, juntou-se ao protesto, considerando que Nuno Crato não tem condições para continuar com a pasta da Educação.

A dirigente do Bloco instou ainda o Governo «a assumir os custos do erro que cometeu» na colocação de professores.