Jim Macken, um juiz australiano na reforma, fez um pedido sui generis ao ministro da Imigração australiano. O magistrado de 88 anos quer trocar de lugar com um migrante retido nas ilhas Nauru ou Manus. Na carta que escreveu ao ministro Peter Dutton, Jim Macken “reconhece a singularidade do pedido”, mas diz que “é sincero”.

“Só tenho mais um ano de vida, mas um refugiado que venha para cá pode viver 50 anos, por isso, [este pedido] não é nada demais do meu ponto de vista”, disse à SBS.

 

E acrescentou: “Quando sabemos que vamos morrer, queremos morrer de consciência tranquila”.

No âmbito das políticas de imigração, a Austrália mantém centros de detenção de imigrantes nas ilhas de Nauru e Manus, Papua Nova Guiné, cujas condições têm sido criticadas, como recorda a BBC.

Jim Macken critica o seu país por ter abandonado as políticas “humanistas”.

“Havia um elemento humanista, as pessoas contavam realmente um bocadinho, mas agora não têm valor nenhum”.

Críticas que não isentam o seu próprio partido, o Partido Trabalhista, que acusa de falta de coragem para tomar medidas no sentido de acabar com estes centros de detenção e trazer aquelas pessoas para a Austrália.