As perspetivas de crescimento económico em Portugal aumentaram em outubro face ao mês anterior e continuam acima da média da zona euro, segundo os indicadores compósitos avançados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), nota a Lusa.

Em outubro, o indicador relativo a Portugal subiu para os 101,74 pontos, 14 centésimas acima do verificado em setembro, mantendo-se acima dos 100 pontos, que correspondem à média de longo prazo.

Os indicadores compósitos apontam para a tendência de evolução futura da atividade económica num período de quatro a oito meses, antecipando inflexões no ciclo económico.

Na zona euro, os indicadores apontam para um abrandamento do crescimento económico, com o indicador compósito a manter-se nos 100,6 pontos em outubro, tal como o registado no mês anterior.

Entre as sete principais economias da OCDE, esta tendência é mais notória no Japão, cujo indicador compósito caiu 1,51 pontos para os 99,7 pontos em outubro, e na Alemanha, cujo indicador compósito caiu em outubro 1,28 pontos para os 99,5 pontos.

Na Europa, estes indicadores sugerem que «o crescimento vai continuar a perder força», estando, no entanto, as perspetivas estáveis para crescimento na maioria das outras grandes economias globais e nos países da OCDE como um todo.

Entre as maiores economias da OCDE, os indicadores apontam para uma estabilização do crescimento nos Estados Unidos, no Canadá, na China e no Brasil.