O ministro da Administração Interna não quer falar em descida de impostos no Orçamento do Estado para 2015, mas avisa já os adversários políticos que não aceita críticas ao facto de, «alegadamente», o Governo «estar a dar rebuçados ao povo».

«Espero que quem [o Governo] durante três anos foi tão fustigado por ser acusado de estar a castigar o povo, utilizando uma expressão que era comum no discurso político, agora não seja sovado por, alegadamente, estar a dar rebuçados ao povo», afirmou, em Castelo Branco.

Questionado sobre se a descida dos impostos é um desejo do CDS-PP, Miguel Macedo respondeu: «Só no sábado é que se pode falar sobre isso».

«Está agendado um Conselho de Ministros extraordinário e, portanto, só nessa altura se saberá a decisão que irá sair do Conselho de Ministros. Não se trata do PSD e do parceiro de coligação, trata-se de uma proposta que sairá do Conselho de Ministros», explicou.

Macedo garantiu ainda que o PSD vai entrar na campanha eleitoral das próximas eleições legislativas «de cabeça levantada».

«Vamos fazer a luta política no plano democrático, defendendo as nossas ideias, dizendo aquilo que se passou durante esta legislatura, mas sem esquecer aquilo que determinou a situação muito difícil que tivemos que enfrentar», concluiu.