O inquérito do Banco de Portugal (BdP) a 800 consumidores foi complementado com o registo de seis mil diários de pagamentos. Conclusão: o portugueses andam, em média, com pouco mais de 30 euros na carteira.

As 800 entrevistas presenciais foram realizadas no ano passado com o objetivo de conhecer os hábitos e atitudes da população portuguesa com idades entre os 18 e os 74 anos.

As conclusões divulgadas num relatório do BP mostram também que apenas 4 por cento dos inquiridos não têm o hábito de trazer sempre consigo notas ou moedas.

Nestes casos, o controlo dos gastos e o medo de serem roubados são as principais razões invocadas.

O estudo mostra ainda que, em média, os portugueses efetuam 52,3 pagamentos por mês, dos quais 36,7 são em numerário.

Pagar em dinheiro é ainda o método preferido dos portugueses, sobretudo, para pagamentos frequentes, como alimentação e higiene, e despesas até 10 euros.

Quanto a falsificações de dinheiro, o relatório mostra que a nota de 20 euros foi a mais contrafeita em 2015, tanto na área do euro como em Portugal.

Ainda assim, em termos globais houve menos moedas contrafeitas apreendidas do que notas, quer na área do euro, quer em Portugal.