O ministro Pedro Mota Soares destacou esta sexta-feira que Portugal, a par da Irlanda, tenham sido os países da zona euro com maior criação de emprego no 4.º trimestre, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat.

De acordo com o gabinete de estatísticas da União Europeia, o emprego em Portugal cresceu 0,5% no 4.º trimestre de 2013, face ao mesmo período de 2012, tendo registado um dos maiores aumentos da União Europeia, 0,7%, em relação ao terceiro trimestre.

No conjunto do ano de 2013, o emprego recuou 0,9% na zona euro e 0,4% no conjunto dos 28 Estados-membros, contra 0,7% e 0,2%, respetivamente, em 2012.

Citando estes dados, o ministro do Emprego, Solidariedade e Segurança Social - que falava hoje no Parlamento no âmbito da discussão relativa a despedimentos por extinção do posto de trabalho ou por inadaptação - sublinha serem já «vários indicadores» que confirmam que existe uma tendência de recuperação da economia.

O secretário de Estado do Emprego, Octávio Oliveira, acrescentou que os dados hoje divulgados por Bruxelas são uma «importante notícia» para Portugal e «diz bem daquela que é a intenção do Governo de promover o emprego».

As declarações do governante foram feitas num debate no qual a oposição acusou, por diversas vezes, o Governo de insistir numa receita de facilitação de despedimentos e não de promover a criação de emprego.