Os trabalhadores da fábrica da Volkswagen (VW) da Autoeuropa, em Palmela (Setúbal), participam hoje num plenário para preparar a greve de quarta-feira contra as propostas de alteração dos horários.

A greve foi marcada para contestar as propostas da administração, segundo Eduardo Florindo, do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Ambiente do Sul (SiteSul).

Em causa está a alteração de horário, nomeadamente a obrigatoriedade de trabalhar aos sábados durante dois anos, “fora os domingos e os feriados que ninguém fala, pelo que na prática os trabalhadores passam o tempo todo na fábrica a trabalhar”, refere.

O plenário de hoje vai servir para “esclarecer as dúvidas dos trabalhadores que houver sobre os horários e preparar a greve do dia 30”, acrescentou.

Eduardo Florindo admitiu que se a empresa não alterar a sua posição poderá ser marcada, “mais para a frente”, uma outra reunião de trabalhadores para “discutir outras formas de luta se for necessário”.

À Lusa o sindicalista indicou não acreditar que questões laborais transfiram a produção do novo modelo T-ROC para outro local.

Na quinta-feira, o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e Afins (SIMA) informou que se juntar à greve.