O presidente da comissão executiva do Santander Totta, Vieira Monteiro, defendeu esta quarta-feira que Portugal necessita de um governo "forte e estável" e que cumpra as suas "obrigações internacionais".

"Portugal necessita de ter um governo forte e estável e que cumpra as suas obrigações internacionais. Com isto, poderá continuar toda a política de reformas e poderá vir a ter cada vez mais investimento estrangeiro que tão necessário é ao país", afirmou Vieira Monteiro, no final de uma audiência com Cavaco Silva.


Numa curta declaração, o presidente do Santander Totta acrescentou ter ainda transmitido a Cavaco Silva que considera fundamental "a justiça social para o desenvolvimento do país", tal como a diminuição do desemprego.

A ronda de audiências com presidentes de instituições bancárias prossegue hoje à tarde na Presidência da República, com o presidente da comissão executiva da Caixa Geral de Depósitos, José de Matos, o presidente do conselho de administração executivo da Caixa Económica Montepio Geral, José Félix Morgado, às 16:00, e o presidente da Associação Portuguesa de Bancos, Faria de Oliveira, na última audiência do dia, marcada para as 17:00.

Na quinta-feira, Cavaco Silva recebe um conjunto de economistas e, sexta-feira, ouve os representantes dos partidos com assento parlamentar.