As principais bolsas europeias continuam a registar fortes quedas, e assim se espera que continue, devido ao agravamento da tensão política entre a Ucrânia e a Rússia.

Recorde-se que Vladiminir Putin pediu, na semana passada, autorização ao parlamento russo para enviar militares para a região ucraniana da Crimeia.

A tensão agravou-se, depois da queda do ex-presidente Ianukovich, e a Ucrânia denunciou entretanto que a Rússia fez uma invasão armada na Crimeia.

O principal índice da bolsa de Moscovo está a cair 10%. Na Ucrânia, o principal índice bolsista derrapa 3%.

Entretanto, o Banco Central da Rússia decidiu esta segunda-feira aumentar as taxas de juro dos 5,5% para os 7%, numa tentativa de prevenir riscos de inflação.

A Gazprom, a empresa estatal russa que produz gás, já avisou a Ucrânia que vai subir os preços no final de março, com a justificação que a situação dos pagamentos «está preocupante».

Bruxelas convocou para esta segunda-feira uma reunião de emergência dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, para analisar a tensão política entre os 2 países.