Mais de 2500 pessoas declararam falência só nos primeiros três meses deste ano. Segundo o «Diário de Notícias», há mais declarações de insolvência e falência de indivíduos do que de empresas: 62 por cento já correspondem a famílias.

Para muitos, que acumularam créditos e empréstimos ao consumo, esta é a única saída, sobretudo quando têm de lidar também com o drama do desemprego.

Após ser decretada falência, é obrigatório prestar contas ao tribunal durante cinco anos.