Bagão Félix considera que Paulo Portas cometeu um erro ao aceitar o corte nas pensões de sobrevivência.

O conselheiro de Estado diz que essa medida só se justifica porque o vice-primeiro-ministro está forçado a manter a coesão do Governo.

Bagão diz que a saída de Vítor Gaspar pouco afetou o rumo do país e lembra que, apesar da austeridade, a dívida aumentou.

Sobre o Orçamento do Estado para 2014, o ex-ministro teme o pior, caso o Tribunal Constitucional chumbe alguma medidas.