A taxa de empregos disponíveis na zona euro e na União Europeia subiu para os 1,9% no primeiro trimestre do ano. Portugal teve a segunda mais baixa (0,9%) entre os 28 estados membros, segundo divulgou hoje o Eurostat.

Na zona euro, a taxa de empregos disponíveis aumentou face aos 1,7% registados no período homólogo e também entre outubro e dezembro últimos.

No conjunto dos 28 Estados-membros, a taxa de empregos disponíveis ficou também, entre janeiro e março, acima dos 1,8% homólogos e do último trimestre de 2016.

As taxas de empregos disponíveis mais altas foram registadas, no primeiro trimestre, na República Checa (3,1%), na Bélgica (2,9%, no quarto trimestre de 2016), na Finlândia e na Suécia (2,7% cada) e na Alemanha (2,6%).

As menores taxas foram registadas na Espanha (0,8%), em Portugal (0,9%), na Bulgária, Irlanda, Grécia, Polónia e Eslováquia (1,0% cada).