O Governo da Guiné-Bissau «já está em contato» com as autoridades portuguesas para a resolução do problema da TAP, que Bissau quer ver a retomar os voos regulares para a capital guineense, disse esta sexta-feira o primeiro-ministro Domingos Simões Pereira.

Indicando haver trabalhos em curso entre Bissau e Lisboa, o primeiro-ministro guineense disse ter dado «orientações precisas» ao secretario de Estado dos Transportes e Comunicações, João Bernardo Vieira e ao ministro da Administração Interna, Botché Candé, sobre o que é preciso fazer sobre o caso da TAP.

Em dezembro passado, a transportadora área portuguesa decidiu cancelar os seus voos regulares para Bissau na sequência do embarque forçado pelas autoridades guineenses de 74 cidadãos da Síria com documentação falsa.

Na altura a TAP considerou ter havido uma «grave quebra de segurança» na rota Bissau/Lisboa, pelo que os voos estavam cancelados «até uma completa avaliação» das condições de segurança no aeroporto em Bissau.

«Já estamos em contato com as autoridades portuguesas, vamos identificar quais as dificuldades, quais os obstáculos de parte a parte, acredito que rapidamente vamos encontrar soluções que satisfaçam as exigências», disse Domingos Simões Pereira.

Fontes do Governo indicaram à Lusa que a questão da TAP foi um dos assuntos debatidos na primeira reunião do conselho de ministros do novo executivo realizada quinta-feira.

Com o cancelamento dos voos da TAP a Guiné-Bissau ficou sem voos diretos para a Europa.

A transportadora aérea portuguesa efetuava três voos semanais entre Lisboa e Bissau, às terças, sextas e aos domingos.