O presidente executivo da EDP afirmou hoje, citando estatísticas «europeias», que os preços da energia elétrica em Portugal «são tipicamente mais baixos» do que a média europeia.

António Mexia, que falava na conferência de imprensa de apresentação de resultados de 2013 da EDP, em Lisboa, foi questionado sobre os alertas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Comissão Europeia sobre os preços da eletricidade em Portugal.

Na resposta, o presidente executivo da EDP afirmou: «Não vale a pena torturar os números até que eles deem aquilo que nós pensemos que eles deveriam dar. Os preços em Portugal são tipicamente mais baixos do que na média europeia. E a estatística não é nossa, é estatística europeia».

«Há um relatório muito recente da Comissão Europeia que mostra que a energia como um todo representa tipicamente 3% dos custos da indústria, em termos médios, na Europa. A eletricidade, obviamente, representará uma parte disso. Isto mostra o quê? Que nada que representa 3% podia ser um problema de competitividade», acrescentou.

No relatório sobre a décima avaliação ao Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), divulgado a 19 de fevereiro, o FMI referiu que, na 11.ª revisão regular, atualmente em curso, o Governo e a troika discutiriam mais medidas para «limitar futuros aumentos do preço da eletricidade para o consumidor final, incluindo as rendas excessivas no setor».

Já a Comissão Europeia, no relatório sobre a décima avaliação regular ao PAEF, divulgado a 20 de fevereiro, afirmou que as medidas para reduzir as rendas do setor energético e eliminar o défice tarifário «parecem ser insuficientes», estimando que a eliminação deste défice até 2020 exigiria aumentos anuais do preço da eletricidade de 2%.

A EDP fechou o ano passado com lucros atribuíveis aos acionistas de 1.005 milhões de euros, menos 0,7% do que em 2012, divulgou hoje a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Quanto ao EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização), este fixou-se em 3.617 milhões de euros em 2013, menos 0,3% em termos homólogos.