A criação de emprego privado nos Estados Unidos foi em fevereiro inferior ao previsto, principalmente devido ao mau tempo que afetou grande parte do país, indicou esta quarta-feira a consultora Automatic Data Processing (ADP).

As previsões de Wall Street apontavam para 160 mil empregos, mas foram criados apenas 139 mil, segundo a ADP, que reviu também em baixa os números relativos a janeiro, fixando-os em 127 mil em vez dos 175 mil anunciados há um mês.

«Fevereiro foi outro mês fraco para o mercado de trabalho em vários setores, devido ao inverno rigoroso, especialmente em meados do mês», afirmou Mark Zandi, economista-chefe da Moody's Analytics, que colabora na elaboração do relatório.

Inverno rigoroso prejudica crescimento dos EUA

O inverno rigoroso que se tem feito sentir nos Estados Unidos afetou a atividade económica em janeiro e no início de fevereiro, mas as perspetivas para muitas áreas «mantêm-se otimistas», segundo o Livro Bege divulgado hoje pela Reserva Federal (Fed).

Num dos relatórios sobre a situação económica dos Estados Unidos (EUA) que publica várias vezes por ano, o banco central refere que o inverno particularmente rigoroso, com várias tempestades de neve a atingir o país, prejudicou as vendas a retalho, a venda de automóveis e a atividade económica em geral, contribuindo para os dados que indicam um crescimento mais lento.

A presidente da Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos, Janet Yellen, já tinha afirmado no final de fevereiro, que os sinais de abrandamento da economia norte-americana registados nas últimas semanas seriam, em parte, consequência do inverno rigoroso.