As agências de viagens e operadores de turismo acreditam que a operação vai crescer a um ritmo de “dois dígitos” no Verão, face ao mesmo período do ano passado, indicam os resultados de um inquérito da associação empresarial do setor.

O presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), Pedro Costa Ferreira, afirmou à Lusa que a “esmagadora maioria” das empresas associadas esperam um crescimento da operação entre junho e o final de setembro, devido ao aumento das viagens em tempo de férias.

Questionado sobre o motivo para este crescimento, o responsável da APAVT considerou que sobretudo “os níveis de confiança dos consumidores na economia têm vindo a normalizar-se”, além de haver um aumento do rendimento disponível.


Ainda assim, apesar de já em 2014 se ter notado uma recuperação face ao ano anterior, Pedro Costa Ferreira ressalvou que o negócio das viagens “não está ainda nos níveis em que se encontrava antes da crise económica”.

De um modo geral, está previsto um crescimento de procura para todos os destinos, mas o aumento mais significativo deverá acontecer para as Caraíbas, arquipélago que inclui pontos turísticos como Havana, Varadero, Punta Cana e República Dominicana.

Segundo Pedro Costa Ferreira, o aumento de viagens para as Caraíbas deverá ser também a um ritmo de “dois dígitos”, ligado ao crescimento da oferta de transporte charter para a região.

Ainda entre os destinos de longo curso, mas “numa segunda linha”, Brasil, Estados Unidos e Oriente também vão crescer.

De acordo com o presidente da APAVT, a resposta das empresas associadas aponta também para um aumento de procura das viagens para Cabo Verde, Disneyland Paris, Tunísia e Marrocos, Maiorca, Madeira e ainda os circuitos europeus em autocarro.

Pedro Costa Ferreira adiantou que se espera também “um crescimento assinalável para o Algarve”, onde o setor se tem debatido aliás “com algumas dificuldades de reservas”.


Questionado ainda sobre as previsões do setor quanto à entrada de turistas em Portugal, durante os meses de verão, Costa Ferreira respondeu que “as empresas estão otimistas e esperam a continuação do crescimento” também neste domínio.