A renegociação da dívida em 2011 poderia ter ajudado Portugal. A convicção é exposta num artigo elaborado por técnicos do FMI, enviado ao conselho consultivo e divulgado pelo «Jornal de Negócios».

Um mês após o fim do resgate financeiro ao país, o artigo diz que há vantagens em reestruturar a dívida em caso de dúvida sobre a sua sustentabilidade.

Não se trata, neste caso, de uma assunção política no sentido de admitir o erro, no entanto, a diretora do FMI já tinha admitido anteriormente erros nos cálculos, que serviram de base às políticas implementadas de austeridade.

Os técnicos internacionais mostram, assim, que Portugal (e também a Irlanda) poderiam ter saído a ganhar com uma renegociação.

De acordo com dados do banco de Portugal, a dívida portuguesa ronda os 130% do PIB.