Os prejuízos da banca agravaram-se em quase 270 milhões de euros durante os primeiros seis meses deste ano.

Agora que já são conhecidos os resultados dos quatro maiores bancos privados, vê-se que os lucros conseguidos pelo BPI e pelo Santander Totta não chegam - nem de perto nem de longe - para compensar os prejuízos avultados do Millennium BCP e do Banco Espírito Santo (BES).

O mais pequeno dos quatro maiores bancos privados é aquele que apresenta os melhores resultados no final do primeiro semestre. O BPI mostra lucros de 59 milhões de euros, enquanto o Santander Totta teve resultados de 31 milhões.

Nos dois casos, os lucros encolheram em comparação com junho do ano passado.

Mas pior estiveram o BCP e o BES que mostram prejuízos muito elevados. O maior banco privado em ativos em Portugal chega quase aos 500 milhões. Já o banco liderado por Ricardo Salgado surpreendeu com um agravamento substancial dos maus resultados.

É que o crédito malparado também contaminou os balanços dos bancos. O BES registou um agravamento de mais de 800 milhões de euros no espaço de um ano. No caso do BCP, o crédito em incumprimento diminuiu, mas continua a ultrapassar os cinco mil milhões de euros.

Os bancos também vão continuar a fazer o seu ajustamento. Esperam-se mais despedimentos e encerramento de balcões ao longo dos próximos meses.