A Alemanha terá poupado cerca de 41 mil milhões de euros com a crise das dívidas soberanas na zona euro, graças à queda das taxas de juro sobre a sua dívida pública, olhada pelos investidores como um «refúgio seguro».

De acordo com os dados disponibilizados pelo ministério das Finanças alemão, citados pelo jornal «Der Spiegel», a Alemanha vai economizar 40,9 mil milhões de euros no pagamento de juros entre 2010 e 2014, com a diferença entre os juros previstos e os efetivamente pagos.

Em média, a taxa de juro em novas emissões de títulos de dívida pública caiu quase um ponto percentual, no referido período, porque os investidores veem a Alemanha como um credor particularmente fiável, tendo em conta a solidez das finanças públicas.

A economia com as taxas de juro, associada a receitas fiscais acima do esperado, permitiu à Alemanha reduzir as necessidades de financiamento, tendo optado por reduzir os montantes e por emissões de mais longo prazo e, por isso, a taxas mais favoráveis.

Entre 2009 e 2012, a emissão de dívida alemã a curto prazo, com vencimento inferior a três anos, caiu entre 51 e 71%.

Segundo os mesmos dados, divulgados em resposta a uma questão do deputado social-democrata Joachim Poss, a crise na zona euro apenas custou à Alemanha «uns meros 599 milhões de euros».