França e Alemanha prometeram esta quarta-feira fazer pressão no sentido de alcançar um rápido acordo com os outros países europeus que permita alargar a troca de informação financeira, para acabar com o financiamento terrorista.

O ministro francês das Finanças, citado pela Bloomberg, defendeu que a Europa tem de ser capaz de verificar relações entre terroristas e fundos que passam pelo sistema internacional de transferências bancárias e deixar de apoiar-se tanto na intelligence financeira dos EUA.

“Na Europa necessitamos de ter os nossos próprios instrumentos para analisar esses dados do sistema internacional de transferências bancárias”, defendeu Michel Sapin, acrescentando que “isto é necessário para controlar os fluxos de capital e identificar transações consideradas perigosas”.

Falando em Berlim, depois de um encontro com o homólogo alemão, Sapin exortou os restantes países europeus a criar centros que possam armazenar informação sobre contas bancárias. Os dois países vão também pedir aos restantes Estados-membros que acelerem a implementação de medidas para combater a lavagem de dinheiro, que irão ser discutidas na reunião dos ministros das Finanças da UE, marcada para 8 de dezembro.