O tribunal arbitral do Conselho Económico e Social (CES) decretou serviços mínimos para as greves convocadas para os dias 14, 15, 21, 22 e 23 de setembro na transportadora fluvial Soflusa, segundo um comunicado hoje divulgado.

De acordo com a nota do CES, o tribunal arbitral decretou como serviços mínimos a realização de carreiras que partem do Barreiro às 05:15 e 06:15 e o seu regresso e carreiras que saem de Lisboa às 05:45 e 06:40.

O CES decretou ainda que têm de ser assegurados dois trabalhadores para a amarração dos barcos e para a mesa de controlo.

Várias estruturas sindicais convocaram três horas de greve por turno para aqueles dias para reivindicarem aumentos salariais e mostrarem a “indignação dos trabalhadores com o incrível aumento que a administração atribuiu aos diretores e aos chefes de núcleo”, disse fonte sindical.

“Os trabalhadores grevistas asseguram os serviços necessários à segurança e manutenção do equipamento e instalações, bem como os serviços de emergência que, em caso de força maior, reclamem a utilização dos meios disponibilizados pela Soflusa”, lê-se na decisão do tribunal arbitral.

A Soflusa assegura a ligação fluvial entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa.