O grupo Transtejo, responsável pelas ligações fluviais no rio Tejo na região de Lisboa, informou hoje que todas as ligações podem ser interrompidas na quinta-feira à tarde devido a plenários dos trabalhadores.

«Devido a um plenário, convocado pelos sindicatos representativos dos trabalhadores da Transtejo e da Soflusa, o Grupo Transtejo prevê que poderão ocorrer paralisações nas várias ligações», referiu a empresa em comunicado.

Segundo a Transtejo, as carreiras do Barreiro, Montijo, Seixal, Cacilhas (Almada) e Trafaria (Almada) para Lisboa devem começar a parar depois de almoço, sendo esperado que regressem à normalidade, de forma gradual, a partir das 16:20.

«Caso se verifique a paralisação das carreiras, os terminais de passageiros serão encerrados nos períodos em causa, por questões de segurança», acrescentou a empresa.

Os trabalhadores das empresas Soflusa e Transtejo vão analisar os impactos do novo regime jurídico do setor público empresarial.

«Vamos avaliar os impactos que este decreto-lei n.º 133/2013 tem para os trabalhadores das empresas. Pelas nossas contas, vai significar uma redução de salários na ordem dos 100 euros», disse à agência Lusa José Oliveira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

Segundo José Oliveira, as organizações sindicais das empresas de transportes estão a ponderar avançar para uma semana de greve, questão que vai ser também colocada aos trabalhadores da Soflusa e Transtejo.