A rodoviária Carris vai reforçar quatro carreiras na quinta-feira, em percursos coincidentes com os eixos servidos pelo Metropolitano de Lisboa, que nesse dia deve estar parado devido à greve dos trabalhadores, indicou esta terça-feira a empresa.

Em comunicado, a Carris, que foi fundida com o Metro de Lisboa, informou que vai reforçar as carreiras 726 (Sapadores-Pontinha Centro), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação Damaia).

«Este reforço será efetuado através da colocação em serviço de um número suplementar de autocarros, pelo que não será afetado o normal funcionamento do serviço da Carris, embora se preveja dificuldades no trânsito em Lisboa», lê-se na nota.

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa marcaram uma greve de 24 horas para quinta-feira para contestar medidas do Orçamento do Estado para 2014 como a concessão das empresas públicas de transporte a privados e a redução das indemnizações compensatórias.

Ao contrário do que decidiu para a greve de 15 de outubro, desta vez o Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social não decretou serviços mínimos para a greve.

Na sequência dessa decisão, o Metropolitano de Lisboa prevê parar a partir das 23:30 de quarta-feira e só reabrir na sexta-feira às 06:30.