A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS) anunciou esta quarta-feira que mantém o pré-aviso de greve nos comboios até ao dia 02 de janeiro, contrariando informações anteriormente avançadas pela CP sobre a suspensão das greves.

A empresa de transporte ferroviário anunciou na terça-feira ter assinado acordos com vários sindicatos que permitiriam suspender os pré-avisos de greve que abrangiam o mês de dezembro e o início de janeiro.

A FECTRANS clarificou hoje que mantém o pré-aviso de greve ao trabalho extraordinário, dias de descanso e feriados neste período, o que pode causar constrangimentos a quem quer viajar no Natal e no Ano Novo.

O coordenador da FECTRANS, José Manuel Oliveira, adiantou à Lusa que, apesar de manter o pré-aviso de greve, o sindicato está disponível para negociar.

«Tudo depende da vontade da CP para ir ao encontro de algumas questões», relacionadas nomeadamente com o pagamento das horas extraordinárias.

O sindicalista questionou a existência de diferentes regimes na REFER e na CP, em que a tutela é a mesma, sublinhando que não estão a ser cumpridos os acordos de empresa.

Os pré-avisos de greve abrangem a CP, a CP-Carga, a REFER e a EMEF (Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário).

A FECTRANS vai reunir-se hoje com responsáveis da REFER e está a aguardar a marcação de uma reunião com a EMEF, não estando agendado para já nenhum encontro com a CP.

A UGT saudou hoje a «posição responsável» dos seus sindicatos (SINDEFER - SINFESE, SINAFE e SINFA) ao levantar o pré-aviso de greve na CP, mas salientou que estes «são obrigados a manter o pré-aviso de greve na EMEF porque o acionista CP, numa atitude inexplicável, não salvaguardou a prorrogação do acordo, de igual teor ao da CP, que também se aplicava nesta empresa».