O Andante, título para os transportes públicos da Área Metropolitana do Porto (AMP), é válido a partir de quinta-feira em linhas da Auto Viação Pacense e da Auto Viação Landim, bem como nas ligações da Resende em Matosinhos.

De acordo com a página na Internet do Andante, a partir de quinta-feira, passa a haver uma “integração parcial” de percursos da Auto Viação Pacense no sistema intermodal Andante, designadamente das linhas 2001, 2002, 2005, 2012, 2014, 2047, 2048 e 2052.

Também a partir de quinta-feira há um novo operador privado a integrar o Andante – Auto Viação Landim -, com os seus percursos Alfena/Porto, das linhas 1001, 1002, 1004 e 1007, e Pinheiro Manso/Porto, da linha 1100.

Na terça-feira, o vereador da Mobilidade da Câmara de Matosinhos, José Pedro Rodrigues, anunciou que todas as linhas de transporte público no concelho serão integradas a partir de quinta-feira na rede Andante.

Dia 1 de fevereiro, as últimas quatro linhas – 116, 120, 122 e 123 – da operadora Resende, operadora privada de transportes urbanos em Matosinhos, serão integradas no Andante, esta integração significa a integração total das linhas de transporte público neste sistema”, disse o vereador da CDU, durante a reunião pública do executivo municipal.

Isto vai possibilitar aos utentes viajar em diferentes meios de transportes públicos com o mesmo título de transporte, reduzindo os seus custos, explicou.

O alargamento do Andante tem sido uma prioridade da Área Metropolitana do Porto.

A partir de abril, os utentes dos transportes públicos da AMP poderão utilizar o “anda”, uma aplicação móvel do sistema Andante (que apenas estará disponível para Android) que vai permitir desmaterializar o título.

O “anda” surge por iniciativa do TIP – Transportes Intermodais do Porto, que é constituído pela Metro do Porto, Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) e pela CP – Comboios de Portugal, em colaboração com os operadores de transportes e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.