O desemprego em Espanha diminuiu no mês passado em 31 pessoas, a primeira queda num mês de agosto desde o ano 2000, segundo dados divulgados hoje pelo ministério espanhol do Emprego e Segurança Social.

Esta pequena redução eleva para seis o número de meses consecutivos em que o desemprego em Espanha caiu, acumulando assim menos 340 mil desempregados, para um total de 4.698.783 pessoas.

Desde o início do ano e tendo em conta as subidas de janeiro e fevereiro, o número de desempregados em Espanha caiu em 149.940 pessoas, segundo os dados hoje divulgados.

Nos últimos 13 anos, o mês de agosto tem registado, em média, um aumento de desemprego de 27.439 pessoas.

Paralelamente o número de trabalhadores inscritos na Segurança Social, ou seja a trabalhar, caiu em 99.063.

Assim, no final de agosto estavam a trabalhar em Espanha um total de 16.327.687 pessoas, menos 568.290 trabalhadores (ou 3,36%) do que em agosto de 2012.

Engracia Hidalgo, secretária de Estado do Emprego, destacou o facto de os dados de desemprego e contratação continuarem, em agosto, com um comportamento coerente face à evolução positiva de outros indicadores económicos.

Hidalgo destacou a melhoria das expetativas económicas e da competitividade que se verifica ao mesmo tempo que se verifica «um aumento da credibilidade da economia».

Na segunda-feira, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, anunciou que os dados do emprego relativos ao mês passado seriam os melhores de todos os meses de agosto desde 2000.