A greve dos trabalhadores da Sociedade Coletiva de Transportes Públicos do Porto (STCP) afetos ao Sindicato Nacional dos Motoristas não teve «uma expressão muito significativa», afirmou à Lusa Jorge Costa, presidente daquela estrutura sindical.

Segundo este dirigente, a adesão à greve «não deve ultrapassar os 15%», até porque «a empresa decidiu dar tolerância de ponto, o que quer dizer que quem trabalhar neste dia tem direito a um dia extra».

A greve está marcada para o dia todo, mas os serviços de atendimento da STCP afirmaram à Lusa desconhecer qualquer greve e afirmaram que não se registava nenhuma perturbação na circulação de autocarros.

A greve, segundo Jorge Costa, foi marcada como protesto «pela forma como o Conselho da Administração vem tratando alguns processos disciplinares, nomeadamente por faltas em dias semelhantes a este» e por «problemas relacionados com horários» nestas ocasiões.

O sindicato, «como forma de salvaguardar os trabalhadores desse procedimento disciplinar, marcou greve para os dias 24 e 31 de dezembro», afirmou ainda Jorge Costa.