O vice-presidente do Banco Central Europeu, o português Vítor Constâncio, advertiu esta quarta-feira que mais episódios de terrorismo na Europa podem afetar a confiança e a recuperação económica da zona euro.

"O que ocorreu afetará temporariamente o consumo nos países mais atingidos pelos atentados, mas o que temos visto noutros casos, como no atentado ao 'Charlie Hebdo', é que o consumo diminui, mas isso é corrigido nos meses seguintes"


Constâncio falava na apresentação do relatório de estabilidade financeira, no qual o BCE analisa os principais riscos para o sistema.

França, a segunda maior economia mais forte da zona euro, a seguir à Alemanha, declarou o estado de emergência logo na noite dos atentados de 13 de novembro, em Paris. E por um período de três meses.

O Governo francês admitiu que agora a prioridade é a segurança, o défice vem depois. Os outros países europeus também reforçaram a segurança e, com isso, aumentaram os gastos em defesa, o que poderá ter implicações nos Orçamentos do Estado aprovados em cada um deles.