O grupo sueco IKEA foi um dos que pediu informações sobre os terrenos da antiga Feira Popular de Lisboa, que vão a hasta pública no dia 20 de outubro, escreve o Diário Económico.

Este pedido de informações não é garantia de que entre na corrida, mas o grupo sueco tem um programa de expansão em Portugal, como é do conhecimento público.

O terreno, que tem cerca der 140 mil metros quadrados, vai a hasta pública com um valor base de licitação de 135,7 milhões de euros. Em junho tinham chegado à autarquia da capital mais de 10 pedidos de informação.

São permitidos nos terrenos os usos de serviços, habitação, comércio e turismo, sendo que a área destinada ao comércio não pode ser superior a 25% da superfície total do terreno.

As obras de construção têm de ser iniciadas no prazo máximo de seis meses após a emissão da licença de construção e podem ocorrer até um prazo máximo de dez anos.