No final de setembro havia 51,7% de assinantes de cartões de telemóvel pré-pagos (de carregamento), menos 8,1 pontos percentuais que um ano antes, enquanto em março de 2005 representavam 81%, anunciou o regulador.

"No final de setembro a proporção de assinantes pré-pagos atingiu 51,7%, menos 8,1 pontos percentuais que há um ano. Em março de 2005, os pré-pagos representavam 81% do total, o valor mais elevado de sempre", refere a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), em comunicado.

Esta descida do número de cartões pré-pagos está ligada à migração dos consumidores deste tipo de serviços para os planos combinados(híbridos e para os planos pós-pagos (assinatura), "nomeadamente aqueles que se encontram associados a ofertas 'multiple play' [múltipla] que integram serviços fixos e o serviço telefónico móvel".

O regulador liderado por Fátima Barros refere que, em setembro, o número de cartões SIM ativos ascendia a 16,7 milhões, dos quais 12,8 milhões (76,5% do total) tinham sido efetivamente utilizados.

"Excluindo as placas/modem e os cartões associados a comunicações 'machine-to-machine (M2M), o número de cartões/equipamentos de utilizador ativos e com utilização efetiva no período de 11,7 milhões, o que traduz uma subida ligeira de 0,3% face ao trimestre anterior e uma quebra de 1% em termos homólgos", adianta.

No que respeita à penetração do serviço móvel, no final do terceiro trimestre esta era de 161,4 por 100 habitantes.

"Se reduzirmos o âmbito aos cartões com utilização efetiva", a penetração foi de 123,5 por habitantes.

"Quanto aos utilizadores efetivos de serviços típicos da banda larga móvel (videotelefonia, transmissão de dados em banda larga, mobile TV, entre outros), atingiram os 5,7 milhões (-0,5% face ao trimestre anterior e mais 17,3% em relação ao período homólogo), representando 44,1% do total de cartões SIM efetivamente utilizados", refere a Anacom.

O crescimento homólogo da utilização destes serviços "está associado ao aumento dos utilizadores de Internet no telemóvel (mais 27,9%), nomeadamente quando integrada em ofertas em pacote, e à crescente penetração dos 'smartphones' [telemóveis inteligentes".

A Meo, da PT Portugal, por sua vez controlada pelos franceses da Altice, é o principal prestador, com 44,3% dos cartões ativos com utilização efetiva, refere a Anacom, seguindo-se a Vodafone, com 33,5%, e a NOS, com 20,6%.

No que respeita ao envio de mensagens escritas (SMS), registou-se uma diminuição de 10,6% deste serviço no final do terceiro trimestre, face ao ano anterior.

"O número médio mensal de SMS enviadas por utilizador deste serviço foi de 237 (267 no terceiro trimestre de 2014), o que representa cerca de oito mensagens por dia. O tráfego de SMS tem sofrido uma redução significativa devido ao aparecimento de formas de comunicação alternativas", refere a Anacom.

"O número de utilizadores do serviço de 'roaming' internacional fora de Portugal representa 7,9% do total dos cartões SIM efetivamente utilizados, excluindo placas/modem e equipamentos M2M", adianta.

O volume de receitas acumuladas dos serviços a clientes finais no final do terceiro trimestre ascendeu a cerca de 1.111 milhões de euros, tendo-se reduzido 18,8% face ao período homólogo.