O ministro da Agricultura Capoulas Santos reconheceu esta quinta-feira que os suinicultores estão a atravessar um momento muito difícil devido à quebra dos preços à produção e exortou os portugueses a consumirem carne portuguesa para ajudar a inverter a situação.

"Os suinicultores portugueses estão a atravessar um momento muito difícil, desde há vários meses, devido à queda dos preços à produção. Por isso mesmo anunciei ontem a criação de um gabinete de crise no Ministério da Agricultura para encontrar soluções para os problemas do setor", disse Capoulas Santos aos jornalistas no final de uma visita ao Mercado dos Agricultores, que inaugurou nos Restauradores, em Lisboa.

Segundo o ministro, o gabinete foi criado com o objetivo de envolver todas as partes do problema, nomeadamente os produtores, os industriais e as empresas de distribuição.

Os suinicultores têm vindo a protestar junto das grandes superfícies e da indústria transformadora, acusando-os de não pagarem a carne pelo devido valor e queixando-se da falta de regulamentação dos preços à produção, o que tem deixado muito produtores sem condições económicas para manter as respetivas explorações.

"É uma situação que desejo que seja transitória. Os portugueses podem ajudar preferindo a carne de origem portuguesa", disse.

Pouco antes, Capoulas Santos tinha provado presunto de porco preto, e elogiou a excelência do produto.

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, inaugurou o mercado dos Agricultores, onde é possível provar e comprar frutas e legumes frescos, pão, azeite, vinhos, queijos, compotas, bolos e enchidos até domingo, na Praça dos Restauradores.

Durante mais de uma hora o ministro percorreu o pequeno recinto parando em todas as bancas, provando alguns produtos e cumprimentando todos os produtores, inteirando-se do processo de fabrico de muitos deles, e felicitou os organizadores por trazerem até à cidade "o que de melhor há no país".

O mercado é promovido pela Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, e, segundo o secretário-geral da CAP, o objetivo é fazer chegar a quem vive em Lisboa e turistas, sem intermediários, os produtos de três dezenas de agricultores portugueses.

À agência Lusa, Luís Mira, afirmou que esta primeira edição do Mercado se assume como um “conceito inovador com o objetivo de oferecer aos consumidores portugueses o melhor que a terra dá e mostrar os produtos inovadores que os jovens estão a produzir, como é o caso do presunto e paio de peru.

O Mercado de Agricultores vai realizar-se uma vez por mês em praças emblemáticas de Lisboa e pretende atrair quer lisboetas, quer outros visitantes nacionais e estrangeiros.

O vice-presidente da CML, Duarte Cordeiro, disse à Lusa que a ideia é fazer deste mercado uma referência, "um espaço de valorização dos produtos tradicionais e dos espaços públicos da capital".

"Nós queremos recuperar a tradição dos mercados de rua e, felizmente podemos contar com a ajuda da CAP. Esta é uma parceria em que todos os lados podem ganhar", disse.