Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP, entre os quais os pilotos, decidiram avançar esta quarta-feira com uma greve de quatro dias, entre 27 e 30 de dezembro.

Num comunicado conjunto, a plataforma que reúne os 12 sindicatos da TAP refere que a greve tem como objetivo «sensibilizar o Governo para a necessidade de travar o processo de privatização».

«As garantias invocadas pelo Governo, até este momento, não são credíveis, nem eficazes. O interesse nacional não é salvaguardado. Não há urgência em privatizar, tal como o ministro da Economia transmitiu no passado dia 05 de Dezembro, na Assembleia da República», adianta o comunicado da Plataforma Sindical da TAP, divulgado após uma assembleia-geral do Sindicato dos Pilotos de Aviação Civil realizada hoje.

Recorde-se que os sindicatos que representam todos os trabalhadores já tinham ameaçado avançar com esta paralisação.

Os pilotos estiveram reunidos esta quarta-feira, em assembleia-geral, para decidir se também eles aderiam aos protestos. 

Note-se que esta é uma altura crítica porque muitas pessoas têm viagens marcadas para irem passar o Reveillon fora de Portugal e muitas também vem a Portugal nesta época festiva.

Esta greve vai traduzir-se em mais prejuízos para a companhia aérea nacional.