A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública anunciou esta quarta-feira uma greve nacional para 13 de março contra os cortes salariais, o horário semanal de 40 horas e a lei da requalificação.

A decisão foi tomada pelo órgão coordenador dos sindicatos que integram a Frente Comum e foi anunciada pela sua coordenadora Ana Avoila, em conferência de imprensa.

«É necessário pôr fim aos cortes salariais, aos congelamentos de carreiras, à lei da requalificação e lutar pela reposição do horário das 35 horas e contra a destruição do Estado Social», defendeu Ana Avoila, explicando aos jornalistas os motivos para a paralisação aprovada.

A sindicalista considerou que «não faz qualquer sentido o Governo manter» a política de austeridade sobre os trabalhadores da administração pública depois de ter terminado o programa de assistência financeira e de a ministra das Finanças ter anunciado que vão antecipar o pagamento do empréstimo.

«Por isso, marcámos uma greve nacional de 24 horas para 13 de março, porque todos os trabalhadores da administração pública estão a ser prejudicados», disse Ana Avoila.

Ana Avoila apelou «a todos os trabalhadores e sindicatos» para que participem nesta greve.

A Frente Comum tem uma manifestação nacional marcada para sexta-feira, em Lisboa.