O principal indicador que mede o clima de negócios na zona euro registou um ligeiro recuo de 0,08 pontos em agosto, face a julho, para os 1,22 pontos, divulgou hoje a Comissão Europeia.

De acordo com a Direção-Geral dos Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia, esta quebra deve-se sobretudo à deterioração vincada das avaliações dos empresários face à suas carteiras de encomendas e histórico de produção.

Este é o terceiro mês consecutivo em que indicador que mede o clima de negócios na zona euro recua, atingindo o valor mais baixo desde agosto do ano passado.

Já o indicador do sentimento económico recuou 0,5 pontos na zona euro em agosto, o que representa o oitavo mês consecutivo em queda, permanecendo estável na União Europeia, face a julho, divulgou também a Comissão.

Na zona euro, o indicador do sentimento económico recuou em agosto 0,5 pontos para os 111,6 pontos, mantendo a tendência em baixa verificada desde janeiro.

Já no conjunto da UE, depois da ligeira subida de 0,1 pontos registada entre junho e julho – que inverteu a tendência de queda que também se registava desde o início de 2018 -, o indicador permaneceu estável em agosto, nos 112,3 pontos.

Segundo a Direção-Geral dos Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia, considerando as cinco maiores economias da zona euro, em agosto o sentimento económico manteve-se virtualmente estável na Alemanha (-0,1 pontos), recuando em França (-1,3 pontos), Itália (-0,8), Espanha (-0,7) e Holanda (-0,5).

Entre as principais economias fora da zona euro, o indicador registou uma subida significativa na maior economia sem a moeda única, a do Reino Unido (1,5 pontos, depois de em julho já ter progredido 1,6 pontos), mas recuou de forma também significativa na Polónia (- 1,3 pontos).