A Comissão Europeia aprovou esta terça-feira a aquisição da Axa Portugal pela seguradora belga Ageas, após concluir que a operação não levanta problemas a nível de concorrência, no quadro das regras comunitárias em matéria de fusões.

De acordo com o executivo comunitário, que analisou a proposta de aquisição sob a forma de procedimento simplificado – o que acontece quando, logo à partida, a operação não suscita preocupações de maior -, não se apresentam riscos a nível de concorrência dada a “limitada quota de mercado” que as empresas terão em conjunto, “e face à presença de competidores fortes” no mercado específico.

Em agosto de 2015, a seguradora francesa Axa anunciara que iria vender à Ageas a sua atividade em Portugal, por um montante de aproximadamente 190 milhões de euros, e estimara que a transação, que necessitava da aprovação do regulador de mercado, seria concluída no primeiro semestre deste ano.

Com a aquisição da Axa, o grupo Ageas, que já detém em Portugal a seguradora Ocidental, espera aumentar a sua quota de mercado no setor segurador não vida para 14,4%, passando a ser o segundo maior grupo, logo a seguir à Fidelidade.