O comissário europeu para a Economia Digital avisou, neste sábado, Espanha e Portugal que devem "pôr em ordem, com urgência", as contas públicas, se não querem ”colocar em risco” as transferências de milhões de euros dos fundos estruturais.

Temos uma segunda opção. A nossa ameaça de corte nos fundos estruturais do orçamento europeu é séria", disse Günhter Oettinger ao semanário alemão Der Spiegel, depois de a Comissão Europeia ter decidido anular a multa a Espanha e Portugal por incumprimento dos seus compromissos para reduzir o défice público.

Na reunião do colégio de comissários, na qual foi adotada a decisão que defendeu "claramente" a imposição de multas "moderadas", outros colegas defenderam sanções na aplicação do Pacto de Estabilidade e Crescimento, disse o comissário europeu.

Este acordo, afirma, não está morto, porque ainda há a opção de cortar os fundos estruturais que os dois países recebem, se não cumprirem as recomendações e os objetivos orçamentais estabelecidos.

A reunião dos comissários foi precedida, segundo diversas fontes, de chamadas do ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, a alguns comissários "populares" para evitar as multas aos dois países.

Oettinger reconheceu que no debate das sanções uns e outros tentaram passar a “batata quente” e destacaram a necessidade de evitar que os partidos políticos desempenhem um papel cada vez maior na Europa.

Na reunião da passada quarta-feira passada, que durou cerca de três horas, a Comissão Europeia decidiu por consenso cancelar as sanções a Espanha e Portugal em troca da aplicação de duros ajustes.