Em Portugal há chefias que ganham oito vezes mais do que os restantes trabalhadores da empresa.

É o resultado da comparação entre os salários das chefias com os salários dos trabalhadores da mesma empresa que auferem o ordenado mínimo nacional.

As remunerações mais altas encontram-se nas sociedades de advogados, seguindo-se as áreas do marketing e a financeira.

Em termos de empregabilidade, são as áreas de engenharia aquelas que mais facilmente garantem um posto de trabalho.

Um estudo demostrativo da média salarial das funções de topo e perfis especializados para 2015 garante que os mais valiosos são os advogados normalmente com carreira internacional.

Reter o talento (de um líder através de salários irrecusáveis) começa a ser uma crescente preocupação nas multinacionais mas há uma verdade: cada trabalhador independentemente do valor do seu salário, deve sentir-se motivado com o que que recebe  para garantir produtividade.