As contas oficiais da Caixa Económica Montepio Geral relativas ao primeiro semestre foram divulgadas esta quarta-feira. O banco teve prejuízos de 67,6 milhões de euros até junho. Este resultado está em linha com o que foi antecipado pela TVI há dois dias.

O valor é mais do dobro do resultado negativo em 28,9 milhões de euros registado no primeiro semestre de 2015.

O Montepio destaca, no comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, que houve "impactos específicos" a influenciar este resultado. Caso contrário, teria alcançado lucros de 22,5 milhões. 

Essas variáveis adversas foram os custos com o processo de racionalização da estrutura operativa (32 milhões de euros), as contribuições sobre o setor bancário, para o Fundo Único de Resolução e para o Fundo de Resolução Nacional (26,4 milhões) e de investimentos financeiros no montante de 52,2 milhões.

Estes impactos específicos de 90,1 milhões, após o efeito fiscal, explicam o resultado líquido de 67,6 milhões de euros".

A cobertura do crédito em risco foi de 120,5% considerando imparidades e garantias hipotecárias, valor que compara com os 126,9% em dezembro de 2015. A margem financeira melhorou 1% e a das comissões 0,3%.

"Decorrente do processo de racionalização operativa, os custos operacionais subiram 13%. Retirando este efeito, verificou-se uma redução de 5,5%", lê-se ainda. 

Os depósitos de clientes aumentam 1,9% no 2.º trimestre, totalizando 12,7 mil milhões de euros. Passaram a representar 59,3% do total das fontes de financiamento. O aumento semestral em relação ao final de 2015 foi de 3,7%.