Portugal perdeu cerca de 52.500 habitantes em 2014 em consequência de um saldo natural negativo e de números na emigração superiores à imigração, anunciou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com o INE, a 31 de dezembro de 2014 a população residente em Portugal cifrava-se em 10.374.822 pessoas, menos 52.479 que em 31 de dezembro de 2013, dados que se traduzem "numa taxa de crescimento negativa de 0,5%, reflexos da conjugação de saldos natural e migratório negativos".

Segundo os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística, apesar do número de óbitos de residentes ter diminuído (104.790 em 2014 contra 106.545 em 2013), também diminuiu o número de nados-vivos (82.367 em 2014 contra 82.787 no ano anterior), o que resultou num saldo natural negativo (número de óbitos superior ao número de nascimentos) de 22.423 pessoas.

Já o saldo migratório no final de 2014 cifrou-se em menos 30.056 pessoas, apesar do número de imigrantes permanentes (19.516) ter subido quase 2.000 face a 2013 e do número de emigrantes (49.572 em 2014) ter diminuído em mais de 4.000 relativamente a 2013.