A Comissão Europeia espera que o terceiro programa de resgate à Grécia seja aprovado o quanto antes. Mas quer jogar pelo seguro e, por isso, preparou os documentos para um empréstimo transitório caso seja pedido pelos ministros das Finanças da zona euro.

A porta-voz Annika Breidthardt disse aos jornalistas que a Comissão está preparada para dois cenários, hoje que é a véspera de uma reunião decisiva do Eurogrupo, que terá lugar na sexta-feira às 14:00.

"Apresentámos os documentos para o Mecanismo Europeu de Estabilidade, que garante ajuda financeira aos países da zona euro e que vai desembolsar a primeira tranche em caso de acordo, mas também uma potencial utilização do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira, um outro organismo que seria responsável por conceder um financiamento transitório, caso a Grécia necessite"


acordo alcançado na terça-feira garante ao país o financiamento de cerca de 85 mil milhões de euros durante três anos. 

Ainda há procedimentos burocráticos a cumprir, como a votação no parlamento grego, que decorre ainda hoje, e a viabilização do resgate pelo Eurogrupo amanhã. 

A intenção do governo grego é a de permitir a entrada em vigor do novo plano de ajustamento antes de 20 de agosto, data em que a Grécia deve proceder a mais um reembolso ao Banco Central Europeu no montante de 3,4 mil milhões de euros.   

Mas, como vai vale prevenir do que remediar, a Comissão Europeia tem o financiamento provisório pronto.

Foi divulgada esta quinta-feira uma notícia que pode dar alento à reunião de amanhã: o PIB da Grécia cresceu 0,8% no segundo trimestre do ano, em relação aos três meses anteriores. A subida é inesperada e bate todas as estimativas.