Várias conservatórias estão encerradas, nomeadamente no interior do pais, devido ao primeiro de cinco dias de greve dos trabalhadores do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), segundo o dirigente sindical José Abraão.

Em declarações à agência Lusa, José Abraão, da Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (FESAP), indicou que algumas conservatórias em Coimbra, Bragança, Vila Real estão encerradas e que há constrangimentos nos serviços em Cascais.

Esta greve está a ter um impacto importante e muito significativo já no primeiro de cinco dias e estou convencido que vai em crescendo”, disse à Lusa.

Segundo o sindicalista, no interior do país é “onde se verificam mais diferenças salariais e a greve terá um impacto importante numa altura de muito trabalho devido ao regresso dos emigrantes, casamentos, registos automóveis, etc.”.

Os trabalhadores do IRN têm previsto para esta segunda-feira uma concentração em frente do Ministério da Justiça e, no final da vigília, os representantes sindicais entregam uma carta com as principais reivindicações ao gabinete da ministra Francisca Van Dunem.

Em causa está a revisão das carreiras e do sistema remuneratório, que os sindicatos defendem que deve ser feita em conjunto.