O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, garantiu esta quinta-feira, em Viseu, que vão ser concedidos benefícios aos investimentos em territórios de baixa densidade, de forma a promover a coesão territorial.

«No âmbito do próximo acordo de parceria, vamos dar benefícios a investimentos em territórios de baixa densidade, em territórios do interior, de forma a promover a coesão territorial», assegurou o ministro, citado pela Lusa.

À entrada para o jantar debate sobre «Portugal 20/20 - Desafios para o Turismo Interno», que decorre esta quinta-feira em Viseu, Poiares Maduro sublinhou a preocupação para com a coesão territorial e para com a promoção do desenvolvimento económico e social do interior.

De acordo com o ministro, «93 por cento dos fundos do próximo acordo de parceria vão para as áreas menos desenvolvidas económica e socialmente do nosso país».

Aos jornalistas, o ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional explicou que é fundamental trazer competitividade económica para os territórios do interior.

«É essa competitividade económica que vai criar oportunidade de emprego, vai permitir as pessoas permanecerem nesses territórios e irem para esses territórios. Queremos fazer isso, no âmbito do próximo acordo de parceria», alegou.

Para o ministro, a competitividade da economia nacional deve assentar no território e nos seus recursos.

«Não podemos ter um Portugal a duas velocidades, nem podemos ter um Portugal que abdica das potencialidades que existem em partes do seu território. Para sermos um país competitivo temos de tirar partido de todos os recursos do nosso território», frisou.

O representante do Governo realçou ainda a importância de manter o Estado em todo o território.

«É por isso que, numa das áreas da minha competência que é a modernização administrativa, estamos a reorganizar a rede de serviços de atendimento da administração pública. Estamos a mudar esse tipo de serviço para uma rede que vai trazer ainda mais proximidade às pessoas», justificou.

Para Poiares Maduro, esta é uma mudança «para melhor», que promove a competitividade económica em territórios do interior.

«O novo modelo de reorganização da rede de lojas do cidadão e de uma rede complementar de espaço do cidadão e de transporte de proximidade, vai melhorar em muito a qualidade da administração pública junto dos cidadãos», concluiu.