A Procuradoria Geral da República vai criar duas equipas especializadas, uma para o crime violento e outra para combater a criminalidade económico-financeira.

Adicionalmente, a proposta que Amadeu Guerra entregou à PGR estabelece mais cooperação com a PJ e troca de informações aprofundada e sistemática dos os DIAP, escreve o Diário Económico.

Joana Marques Vidal tinha pedido há um ano a Amadeu Guerra que fizesse uma reestruturação no departamento do Ministério Público que que detém os mega-processos. A proposta passa pela divisão dos 27 procuradores existentes por 2 equipas.

A ideia é que a equipa que vai tratar do crime económico-financeiro seja reforçada e fique com 21 procuradores, sendo que os seis restantes ficariam a trabalhar em processos de crime violento.

A equipa que trará da criminalidade económica ficará dividida em 3 grupos: um para os crimes fiscais, outro para a burla fora do sistema financeiro e um terceiro para os crimes na banca e para a corrupção.