A agência de notação financeira Fitch baixou hoje a perspetiva da dívida pública portuguesa de positivo para estável, mantendo o seu rating em BB+, considerado "lixo".

Entre os argumentos da Fitch para justificar a revisão esteve a estimativa de um défice equivalente a 4,2% do produto interno bruto (PIB) em 2015, em vez dos 2,7% avançados inicialmente.  

Os planos do Governo em matéria orçamental também estão na base desta decisão, nomeadamente o “otimismo” associado à previsão de um défice de 2,2% do PIB, com a agência de notação a esperar 2,8%.

A Fitch avisa o Executivo português que conciliar as regras europeias com as medidas defendias pelos partidos da esquerda que apoiam o Governo, BE e PCP, representa riscos a curto prazo. 

O Ministério das Finanças já reagiu ao comunicado da Fitch, mostrando-se confiante numa “revisão em alta” do ‘rating’ de Portugal, na sequência da execução orçamental e da redução da dívida em 2016.

“Estamos confiantes que a execução do Orçamento do Estado e a redução da dívida bruta ao longo de 2016 permitirá a revisão em alta do rating da República numa próxima avaliação”, refere, em comunicado enviado à Lusa, o Ministério das Finanças.

No texto, o Ministério das Finanças sublinha que a “revisão da previsão é justificada pela Fitch com a trajetória ascendente da dívida, que vem do passado e que, no início do ano, foi afetada pela injeção de capital no Banif”.